PONTO DE VISTA: Meu ponto cardeal na parede

Outro dia me deparei com um furo na parede da minha sala e ele me fez relembrar do porquê está lá. Foi ele que ajudou a redirecionar a minha atuação profissional, mudou minha percepção e me fez descobrir que ajudar as pessoas a encontrarem o imóvel que procuram na cidade que eu adoro e conheço tão bem não me dá trabalho. Me dá prazer, me dá satisfação, me dá alegria.

O furo eu fiz para pendurar o que seria o cenário dos vídeos que eu pretendia produzir, dando dicas de como escolher um imóvel. Orientação solar, facilidades de transporte e comércio nas proximidades, por exemplo. Coisas que qualquer corretor está preparado para dar ao cliente e, cá pra nós, a maioria das pessoas já sabe. Fiz uns pilotos, depois desisti da ideia, recolhi o cenário e o furo ficou. E agora ele vem me lembrar de como mudar é bom.

É Negócio? Confira
Jorge Trenz
 Mudar de atitude, mudar de casa, mudar de vida é ótimo. Mas claro, temos que acreditar na mudança a que nos propomos, porque só assim conseguiremos construir algo ou alguma coisa realmente nova e representativa. Com uma tomada de briefing mais aprofundada, um olhar mais atencioso para aquilo que meus clientes realmente querem, seja para morar ou para investir, para construir uma família ou instalar uma empresa, meu atendimento se aprimorou. Meus negócios melhoraram. Minhas relações se fortaleceram.

O norte de cada um nos torna diferentes. Mas a energia necessária para realizar o que almejamos exige o mesmo para todos. Isso vale até para quem quer trocar de casa, dar um upgrade na vida. E as vezes o que te move é algo tão singelo como um furo na parede. Um primeiro passo.

 

5 thoughts on “PONTO DE VISTA: Meu ponto cardeal na parede”

  1. E as vezes é um texto como este que nos faz reavaliar os planos de mudanças…. seja qualquer mudança. Temos q ter certeza primeiro q queremos e depois precisamos focar para q não venha o arrependimentos …

  2. Um ponto não é o final, mas um ponto de partida, de mudanças que muitas vezes se faz necessário. É ponto de partida de uma reta rumo ao desconhecido e que pode nos surpreender ao conhecer, e, isto pode ser gratificante. Meus cumprimentos pelo que descrevestes a partir do teu olhar sobre um ponto.

  3. Que bela constatação pessoal e mudança de ponto de vista, ponto de apoio. Conseguir aprender e desaprender parece ser a grande habilidade atual para encarar as mudanças, a mudança de era, o cenário de complexidade e a intersetorialidade das soluções. Tudo está muito ligado – o trabalho, o lazer, o bem-estar e a produtividade, assim como a necessidade de desconectar e se reconectar. Belas conexões! Belo conector. Um ponto. Um início. Um sinal. Um memorial.
    Adorei teu texto, Jorge! Como sempre.

  4. Ótimo mesmo, temos que acreditar naquilo que focamos, para que isso venha se realizar, e como é muito bom podermos fazer mudanças e realizações na vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *