PONTO DE VISTA: Um patrimônio cultural e natural que faz tudo em volta se valorizar.

“Do Central Park, quando criado, ouviam-se opiniões imobiliárias do tipo: muito distante de tudo, não é negócio. Hoje é uma das regiões mais valorizadas do mundo.”

Num café com a Procuradora do Município de Novo Hamburgo, Cinara de Araújo Vila, colaboradora no projeto MAC – Meio Ambiente Cultural, que escrevo mensalmente na revista Expansão, surgiu o assunto dos melhores parques do mundo. E aí a conversa enveredou para o nosso Parcão.

Com 54,1 hectares de muito verde, o parque, com certeza, é um dos influenciadores da valorização imobiliária do entorno. Tomando por base o desempenho de regiões semelhantes no mundo, como consultor imobiliário, posso afirmar, sem sombra de dúvidas, que investir ali é bom negócio. E existem muitas oportunidades. Nos últimos anos, foram investidos 4 milhões em obras de estruturação do parque e o apreço por ele só aumenta. A ampliação do hospital Unimed é outro fator que vai influenciar o metro quadrado por ali.

É Negócio? Confira
Jorge Trenz
  O local fazia parte dos lotes divididos em 1825, no início da colonização alemã, e fica dentro do centro histórico de Hamburgo Velho, numa área maior que o Parque da Redenção, na capital. Ele abriga várias espécies da flora e da fauna da região.  É uma unidade de conservação municipal, envolve patrimônio histórico, patrimônio cultural e natural.

A aquisição das terras que formam o parque foi uma decisão tomada pelo Executivo a partir da mobilização da população hamburguense. Mais uma vez “a comunidade”. Não é incrível isso? Em 1986, uma comissão denominada “Grupo do Parque” reuniu-se com o então prefeito Atalíbio Foscarini e foi dado início à campanha comunitária que reuniu 4.304 assinaturas num abaixo-assinado. Naquele tempo tinha-se que, praticamente, bater de casa em casa para buscar adesão.

Foram anos de luta até que, em 19 de fevereiro de 1990, o prefeito Paulo Ritzel adquiriu a área por quarenta milhões de cruzeiros novos. O patrimônio é de toda a cidade, mas vale muito e cada vez mais para quem paga IPTU por ali. Fica a dica do Ponto de Vista do mês.

 

 

4 thoughts on “PONTO DE VISTA: Um patrimônio cultural e natural que faz tudo em volta se valorizar.”

  1. O Parcão é uma unidade de conservação, então todos devemos zelar pelo nosso patrimônio natural e cultural. A comunidade deve se apropriar do espaço de forma sustentável, entendendo que é dever de cada um preservar e zelar. Em 15 dias de agosto, mesmo que ainda inverno, tivemos 14 mil visitantes.

  2. É verdade o parcão é patrimônio natural e todos nós devemos cuidar para que possamos desfrutar dessa grandeza ,e cabe a orgão público manter ,zelar e dar segurança para que não se crie ali pessoas desordeiras.

  3. O Parcão é um tesouro do Município de Novo Hamburgo. Por causa dele, nosso Município tem um diferencial. Sua importância para a cidade é tão grande que ele é referência nacional em preservação, história e cultura. Conservar é dever de todos nós. Viva o Parcão. Vida longa ao espaço verde mais lindo do Município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *